banner 2017

Depoimentos Volta à Ilha 2016

Luanda
Boa tarde, tudo bom?

Gostaria de agradecer todo o suporte e atendimentos que você me deu, deste a inscrição até a largada.

Foi a primeira vez que fui como treinador, com minha assessoria, e estava bem preocupado.


Suas informações e agilidade nas respostas foram fundamentais para nosso sucesso.


Espero voltar em 2017.

Muito obrigado!!!
Att

André Massella – Coordenador

Equipe Masella Team nº258


 


Olá Luanda!

Tudo bem?

Gostaria de dizer que adoramos a prova!


É a segunda edição que participamos, e apesar de alguns contratempos e do forte calor, deu tudo certo!


Fomos contemplados com experiências únicas e paisagens de tirar o fôlego. Um dia maravilhoso, que estará guardado em nossas memórias.


Como nativos de Floripa, é um imenso prazer correr em família e na nossa terrinha. E a prova se mostra encantadora como nossa ilha!

Presenciar a superação de cada atleta, de cada equipe, é um privilégio e uma lição de vida. Esperamos estar presentes em muitas outras edições.
Parabenizamos ainda pela impecável organização.
Agradecemos também a você pela prestatividade e eficiência de sempre.

Obrigada e até a próxima!

Com carinho,


Karina Silva Coordenadora
Equipe Competino – nº 147


 


Olá Luanda, bom dia.

Concluímos mas uma participação da edição 21a da Volta à Ilha de Florianópolis e quero enviar meus agradecimentos e parabeniza-los mais uma vez pela organização e sucesso do evento. Com certeza em 2017 estaremos participando da prova novamente.

Foram 3 meses de muita preparação, muitos treinos, muitas contusões, muitas formatações de equipes, análise da logística da prova e muito sacrifício para que cada atleta chegasse a um nível adequado de preparação para participar desta prova.


Nós da Ericsson participamos há 13 anos e a cada ano cresce o interesse dos funcionários da empresa em estar presentes a este evento; temos participado em vários sorteios para atender esta demanda e a cada ano desembarcamos em Florianópolis com 3 ou 4 equipes, ou seja, aproximadamente 36 atletas. Esta prova está em nosso calendário de provas anual e é a preferida de todos pelos desafios enfrentados, por fazer parte de uma equipe de corrida, pelo sentimento de superação a cada trecho vencido, além de correr por locais privilegiados pela natureza.


Em nome de nossas equipes transmito nossos agradecimentos à todos os membros da organização da prova pelo apoio dado às nossas equipes, antes, durante e após o evento.


Luanda e Carlos Roberto, parabéns pela organização da prova, por todo o esforço e qualidade colocados em cada parte da preparação e pela atenção prestada à todas as equipes.


Sabemos o quanto é difícil organizar um evento desta magnitude mas temos certeza que sempre será um sucesso!


Um grande abraço dos atletas da Ericsson do Brasil e que venha 2017!!!!


Saudações!!
Pércio Folego -Coordenador
Equipe Ericsson


 


‘’correr a volta a ilha é sempre o máximo, nossa equipe já participou de 8 edições...

A cada ano que passo formamos um maior número de equipes... Este anos tivemos 50


Participantes da PERFECT RUN, em 5 equipes...


Vamos para a Volta a Ilha, pois é uma linda prova... Nunca sabemos exatamente aquilo que nos espera...


Surpresas no caminho, trilhas, subidas e descidas e nossas equipes unidas com um único objetivo...

Participar e fazer aquilo que tanto amamos... CORRER’’

Que venha a Volta a Ilha 2017. Estaremos preparados e desde já contando os dias!!!

Eduardo Schutz - Coordenador técnico
Equipe PERFECT RUN – Porto Alegre / RS

 



Eu acompanhei o evento e estava perfeito. Eu achei um grande sucesso! Espero que no próximo ano se repita o sucesso de 2016. Como espectador eu adorei! Como líder de equipe estava excelente.

Grande abraço!

Marcio Henrique Doniak



Mais uma vez te agradeço pela atenção e carinho de sempre!!! Grande abraço ao Prof. Carlos e todos os demais membros da organização que se dedicam tanto para nos presentear com a volta à ilha!!!

Parabéns por mais uma edição de sucesso da melhor prova de corrida do Brasil!!!

Eduardo Zangari –Coordenador
Equipe Drogas Menoplease – nº315


 


Muito obrigado e Mega Parabéns pela prova.

Como sempre foi SHOW!

Abs

Muller
Equipe KM Solidários - HP Sports – nº513


 


Muito bem obrigado, consegui colocar 3 equipes em pódio esse ano, muito feliz, assim Valeuuu e claro mais uma vez obrigado e parabéns pela organização dessa maravilhosa prova.
Bj


Róger

 



Carlos e Luanda Duarte, nos da AF Trainer, agradecemos a vcs e a todos da eco floripa pela hospitalidade em nos receber em Floripa para mais uma etapa da Volta a Ilha. Todos do time AF Trainer sentiram muito a vontade e hinrados em poder mesmo que ja ter conquistado a vaga em Sao Chico, de poder estar presentes e participar deste grande evento. Parabenizamos a vcs pela realização e sucesso da prova, pelos ajustes que foram feito para ainda mais termos uma melhor qualidade do evento e por acreditar que o esporte e capaz de unificar as pessoas independente de suas cores, credos e raças. A eco floripa está de parabéns. São os votos de todos do Time AF Trainer.

Até a 13° Volta a Ilha de São Francisco.

Anderson Fernando Pereira - Coordenador
Equipes AF Trainer

Florianópolis já respira os ares do 21º Revezamento Volta à Ilha

Prova acontece no sábado, 16, mas corredores começam a chegar a Florianópolis antes para preparação final antes do evento

Florianópolis (SC) – 14 de abril de 2016 – Uma das provas mais aguardadas entre corredores de todo país, o 21º Revezamento Volta à Ilha acontece no próximo sábado (16), mas a capital catarinense já começa a respirar os ares do evento. Atletas de catorze estados estarão em Florianópolis e a movimentação em torno do evento já pode ser notada nas ruas da cidade. No total, 4000 corredores divididos em 400 equipes participam da prova, que desafia os participantes em 140km.

Pensando nisso, a organização, a cargo da Eco Floripa, montou mais uma vez uma grande estrutura para recepcionar os participantes do evento. A partir dessa quinta-feira começa a entrega de Kits, no Hotel Majestic, entre 14h e 19h. Sexta-feira, o procedimento de retirada tem sua sequência entre às 10h e 21h. Nos mesmos dias e horários os atletas terão à disposição no local os produtos oficiais do evento na Loja da Volta Ilha.

Ainda na sexta-feira, a partir das 18h30, também no Hotel Majestic, a organização do evento realiza o Congresso Técnico, onde são passadas as principais informações do evento aos participantes. Além disso, entre 18h30 e 21h30 acontece o tradicional Jantar de Massas.

No grande dia, a movimentação começa logo cedo. A partir das 4h tem início o procedimento de largada, seguindo até as 7h45 (os horários de cada equipe podem ser conferidos através do link - http://www.ecofloripa.com.br/images/arquivosvoltailha/equipes_largadas_2016.pdf). Já no domingo, a partir das 9h30, ocorre a Cerimônia de Premiação.

Florianópolis recepciona milhares de turistas no final de semana:

Um dos pontos marcantes do Revezamento Volta à Ilha acontece na grande concentração de turistas em Florianópolis durante a semana da prova. Boa parte dos quatro mil atletas são de fora de Florianópolis, sendo que nesta edição 14 estados da Federação estarão representados na capital catarinense. E grande parte dos visitantes viaja acompanhado de amigos e familiares. Segundo dados obtidos pela organização, estima-se que aproximadamente 20 mil pessoas acompanham o evento causando um impacto financeiro de dez milhões de reais.

Prova disso é vista no setor hoteleiro e gastronômico. Os hotéis da cidade, especialmente do centro, ficam com suas capacidades lotadas, assim como os restaurantes, principalmente nos dois dias que antecedem a prova, data em que as equipes se reúnem para alinhar os últimos detalhes do planejamento para o dia do evento.


Confira os 17 trechos do Revezamento Volta à Ilha:

1 – Largada – Avenida Beira-Mar Norte – 10,1km – Fácil
2 – Rodovia SC-401 (Decathlon) – 9,8km – Difícil
3 – Santo Antônio de Lisboa (Praça) – 8,0km – Moderado
4 – Praia da Daniela – 5,1km – Moderado
5 – Jurerê Antigo (fim da praia) – 5,3km – Moderado
6 – Cachoeira do Bom Jesus (Rua Otácilio Costa Neto) – 10,4km – Muito, muito difícil
7 – Praia Brava (Rua Ari Kardec B. Melo) – 5,2km – Difícil
8 – Praia dos Ingleses (praia, final da R. Dante de Patta) – 4,7km – Fácil
9 – Praia do Santinho (Posto Guarda-Vidas) – 8,4km – Muito difícil
10 – Praia do Moçambique – 5,7km – Muito difícil
11 – Barra da Lagoa (cidade da Barra) – 8,1km – Muito difícil
12 – Praia da Joaquina (Posto Guarda-Vidas) – 7,7km – Muito difícil
13 – Praia do Campeche (Posto Guarda-Vidas) – 4,9km – Muito difícil
14 – Praia da Armação (perto da Lagoa do Peri) – 9,3km – Difícil
15 – Praia dos Açores (Morro do Sertão) – 16,7km – O mais difícil
16 – Tapera (Fazenda da Ressacada) – 15,2km – Difícil
17 – Via Expressa Sul (Terminal de Ônibus Saco dos Limões) – 6,2km – Fácil
Chegada – Avenida Beira-Mar Norte

Sobre o Revezamento Volta à Ilha:

Idealizada no ano de 1996 pela Eco Floripa, a Volta à Ilha se caracteriza por ser uma prova de revezamento que desafia as equipes a dar uma volta completa na Ilha de Santa Catarina, capital do Estado. A prova é dividida em 17 trechos que desafiam os atletas em 140km de praias, asfalto, dunas e trilhas.

Além da participação no asfalto, dunas, trilhas e praias, a prova requer também um grande trabalho logístico em equipe. Ainda, a prova conta com o acolhedor público da capital catarinense que vai aos principais pontos da prova para incentivar os competidores.

Todos esses elementos fazem do Revezamento Volta à Ilha a principal prova do gênero na América Latina. O evento que começou com dezenas de atletas hoje recebe aproximadamente 4.000 atletas de diversos lugares do Brasil e do Mundo.

Em 2015 a prova completou seu 20º aniversário, consolidando-se no cenário nacional e internacional como um dos principais eventos do Mundo de corrida. Em 2016, o evento acontece no dia 16 de abril.

Informações para imprensa
Danilo Caboclo - 48 9177-8099/11 9 7667-9636/ Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Marina Sartori - 48 9135-9402/ Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Revezamento Volta à Ilha em números

Principal corrida de Revezamento da América Latina, Volta à Ilha chega a “maioridade” com dados fantásticos.

Florianópolis (SC) – 12 de abril de 2016 – No próximo sábado, 16, quatro mil corredores de catorze estados marcam presença no 21º Revezamento Volta à Ilha, considerada a maior prova do gênero na América Latina. Após a comemoração das duas décadas de prova no ano passado, a edição de 2016 marca a “maioridade” do evento com números incríveis, ainda mais para os padrões atuais de eventos no Brasil.

A começar pela longevidade. São poucas as competições que chegam a marca de vinte e uma edições. Com as transformações sociais e até mesmo de comportamento social é difícil uma marca alcançar tanto sucesso durante um longo período e o Revezamento Volta à Ilha anda justamente na contramão deste modelo atual, crescendo a cada ano. Prova disso são os números que a prova apresenta.

Somente em 2015, estima-se que o evento tenha causado um impacto de aproximadamente R$10.000.000,00 (dez milhões de reais) na economia de Florianópolis, sendo um dos eventos esportivos que mais retorno financeiro gera para a capital catarinense. Além dos quatro mil atletas que participam do evento, ainda são contabilizados os familiares que prestigiam o evento e até mesmo o público presente no local. Os maiores ganhos são vistos nos setores gastronômico e hoteleiro, além da geração de empregos diretos e indiretos.

Neste ano, catorze estados da Confederação estarão representados em Florianópolis. Além dos catarinenses a prova receberá atletas do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Sergipe, Bahia, Pernambuco, Goiás, Mato Grosso, Amazonas e Distrito Federal. Dentre os quatro mil atletas que participam da 21ª edição do evento, 66,4% são homens e 33,6% são mulheres. Este é outro importante dado, pois mostra o crescimento do público feminino na prova, sendo que até alguns anos o número de mulheres não passava de 20%.

21 edições, 2975km, 25 mil corredores...

Ao longo das 21 edições do Revezamento Volta à Ilha, muitos corredores já passaram pelos trechos de praias, trilhas, dunas e asfalto que fazem parte dos 140km do percurso. No entanto, nem sempre a distância foi a mesma. Na primeira edição, em 1996, a prova era composta por 155km. Entre 1997 e 2003 a organização acrescentou alguns pontos e o revezamento passou a ter 150km. De 2004 a 2011, a prova retornou as origens com a quilometragem de 150km e em 2012 passou a ter 140km. Sendo assim, se somado a quilometragem das 21 edições do evento, contando já com os números de 2016, a Volta à Ilha já completou 2.975km, quase a mesma distância entre Florianópolis e Alagoas.

Neste ano a prova também registra outra incrível marca. Desde 1996, quase 25.000 atletas únicos já participaram do evento, sem contar aqueles que já participaram da prova mais de uma vez e mais de 50.000 medalhas foram distribuídas.

“Desde a primeira edição da Volta à Ilha nós sempre nos preocupamos em oferecer um evento de qualidade aos atletas e acredito que isso, aliado as belezas exuberantes de Florianópolis que tornam a prova ímpar, tenha sido o principal motivo para o sucesso e a longevidade do evento. Nestes 21 anos comemoramos marcas incríveis e a nossa intenção é fazer com que estes números aumentem ainda mais nos próximos anos”, explica Carlos Duarte, organizador da Volta à Ilha.

Volta à Ilha em números:

17 trechos
21ª edição
140km
400 equipes
450 staffs
2975km de 1996 a 2016
4000 atletas em 2016
25000 atletas ao longo dos 21 anos
50000 medalhas
R$10.000.000,00 em impacto financeiro

Confira os 17 trechos do Revezamento Volta à Ilha:

1 – Largada – Avenida Beira-Mar Norte – 10,1km – Fácil
2 – Rodovia SC-401 (Decathlon) – 9,8km – Difícil
3 – Santo Antônio de Lisboa (Praça) – 8,0km – Moderado
4 – Praia da Daniela – 5,1km – Moderado
5 – Jurerê Antigo (fim da praia) – 5,3km – Moderado
6 – Cachoeira do Bom Jesus (Rua Otácilio Costa Neto) – 10,4km – Muito, muito difícil
7 – Praia Brava (Rua Ari Kardec B. Melo) – 5,2km – Difícil
8 – Praia dos Ingleses (praia, final da R. Dante de Patta) – 4,7km – Fácil
9 – Praia do Santinho (Posto Guarda-Vidas) – 8,4km – Muito difícil
10 – Praia do Moçambique – 5,7km – Muito difícil
11 – Barra da Lagoa (cidade da Barra) – 8,1km – Muito difícil
12 – Praia da Joaquina (Posto Guarda-Vidas) – 7,7km – Muito difícil
13 – Praia do Campeche (Posto Guarda-Vidas) – 4,9km – Muito difícil
14 – Praia da Armação (perto da Lagoa do Peri) – 9,3km – Difícil
15 – Praia dos Açores (Morro do Sertão) – 16,7km – O mais difícil
16 – Tapera (Fazenda da Ressacada) – 15,2km – Difícil
17 – Via Expressa Sul (Terminal de Ônibus Saco dos Limões) – 6,2km – Fácil
Chegada – Avenida Beira-Mar Norte


Sobre o Revezamento Volta à Ilha:

Idealizada no ano de 1996 pela Eco Floripa, a Volta à Ilha se caracteriza por ser uma prova de revezamento que desafia as equipes a dar uma volta completa na Ilha de Santa Catarina, capital do Estado. A prova é dividida em 17 trechos que desafiam os atletas em 140km de praias, asfalto, dunas e trilhas.

Além da participação no asfalto, dunas, trilhas e praias, a prova requer também um grande trabalho logístico em equipe. Ainda, a prova conta com o acolhedor público da capital catarinense que vai aos principais pontos da prova para incentivar os competidores.

Todos esses elementos fazem do Revezamento Volta à Ilha a principal prova do gênero na América Latina. O evento que começou com dezenas de atletas hoje recebe aproximadamente 4.000 atletas de diversos lugares do Brasil e do Mundo.

Em 2015 a prova completou seu 20º aniversário, consolidando-se no cenário nacional e internacional como um dos principais eventos do Mundo de corrida. Em 2016, o evento acontece no dia 16 de abril.

Informações para imprensa
Danilo Caboclo - 48 9177-8099/11 9 7667-9636/ Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Marina Sartori - 48 9135-9402/ Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Revezamento Volta à Ilha chega com novidades no percurso em 2016

Principal prova do gênero na América Latina terá alterações em alguns trechos na edição deste ano, que acontece no dia 16 de abril.

Florianópolis (SC) – 5 de abril de 2016 – No dia 16 de abril aproximadamente quatro mil corredores estarão em Florianópolis para a realização da 21ª edição do Revezamento Volta à Ilha. Considerada a maior prova do gênero na América Latina, o evento tem como principal característica o percurso, que atrai todos os anos atletas do Brasil inteiro. Passando por paisagens de tirar o fôlego como praias, trilhas, costões e dunas, os 140km compostos por 17 trechos contam com peculiaridades particulares em cada um dos pontos e para esse ano a organização trará algumas novidades.

A largada segue em frente ao Trapiche da Avenida Beira-Mar Norte, mas logo no início os atletas poderão notar as primeiras mudanças. Antigamente uma troca era feita logo no início do percurso, no Bairro do João Paulo, mas a partir deste ano os corredores seguem até a Decathlon, na SC-401, para a primeira troca, eliminando também o antigo posto do Office Park.

A segunda mudança ocorre nos trechos 15/16, próximo a Tapera, quando os atletas encaram o famoso “Morro do Sertão”, considerado o mais difícil, com 16,7km de forte inclinação. A troca será realizada na Fazenda da Ressacada, oferecendo mais espaço e conforto às equipes e público.

“Todos os anos nóssempre adequamos os percursos e promover mudanças que sejam benéficas para as equipes. Sabemos que a logística das equipes para a Volta à Ilha é um dos pontos fundamentais para o sucesso no revezamento dos atletas e todas as nossas alterações visam a melhora desses quesitos. É importante ressaltar que, mesmo com essas trocas, a prova não perde em nada suas características. Os atletas seguem correndo pelas mais belas paisagens da Ilha de Santa Catarina ao longo dos 140km, marca registrada do evento nestes 21 anos”, explica, Prof.Carlos Roberto Duarte, idealizador e organizador da prova.

Ao longo destes 21 anos, a Volta à Ilha passou por muitas mudanças no percurso sempre buscando se adequar a evolução da capital catarinense e às necessidades das equipes. Na primeira edição, em 1996, a prova era composta por 155km. Entre 1997 e 2003 a organização acrescentou alguns pontos e o revezamento passou a ter 150km. De 2004 a 2011, a prova retornou as origens com a quilometragem de 150km e desde então passou a ter 140km.

Confira os 17 trechos do Revezamento Volta à Ilha:

1 – Largada – Avenida Beira-Mar Norte – 10,1km – Fácil

2 – Rodovia SC-401 (Decathlon) – 9,8km – Difícil

3 – Santo Antônio de Lisboa (Praça) – 8,0km – Moderado

4 – Praia da Daniela – 5,1km – Moderado

5 – Jurerê Antigo (fim da praia) – 5,3km – Moderado

6 – Cachoeira do Bom Jesus (Rua Otácilio Costa Neto) – 10,4km – Muito, muito difícil

7 – Praia Brava (Rua Ari Kardec B. Melo) – 5,2km – Difícil

8 – Praia dos Ingleses (praia, final da R. Dante de Patta) – 4,7km – Fácil

9 – Praia do Santinho (Posto Guarda-Vidas) – 8,4km – Muito difícil

10 – Praia do Moçambique – 5,7km – Muito difícil

11 – Barra da Lagoa (cidade da Barra) – 8,1km – Muito difícil

12 – Praia da Joaquina (Posto Guarda-Vidas) – 7,7km – Muito difícil

13 – Praia do Campeche (Posto Guarda-Vidas) – 4,9km – Muito difícil

14 – Praia da Armação (perto da Lagoa do Peri) – 9,3km – Difícil

15 – Praia dos Açores (Morro do Sertão) – 16,7km – O mais difícil

16 – Tapera (Fazenda da Ressacada) – 15,2km – Difícil

17 – Via Expressa Sul (Terminal de Ônibus Saco dos Limões) – 6,2km – Fácil

        Chegada – Avenida Beira-Mar Norte

Sobre o Revezamento Volta à Ilha:

Idealizada no ano de 1996 pela Eco Floripa, a Volta à Ilha se caracteriza por ser uma prova de revezamento que desafia as equipes a dar uma volta completa na Ilha de Santa Catarina, capital do Estado. A prova é dividida em 17 trechos que desafiam os atletas em 140km de praias, asfalto, dunas e trilhas.

Além da participação no asfalto, dunas, trilhas e praias, a prova requer também um grande trabalho logístico em equipe. Ainda, a prova conta com o acolhedor público da capital catarinense que vai aos principais pontos da prova para incentivar os competidores.

Todos esses elementos fazem do Revezamento Volta à Ilha a principal prova do gênero na América Latina. O evento que começou com dezenas de atletas hoje recebe aproximadamente 4.000 atletas de diversos lugares do Brasil e do Mundo.

Em 2015 a prova completou seu 20º aniversário, consolidando-se no cenário nacional e internacional como um dos principais eventos do Mundo de corrida. Em 2016, o evento acontece no dia 16 de abril.


Informações para imprensa

Danilo Caboclo - 48 9177-8099/11 9 7667-9636/ Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Marina Sartori - 48 9135-9402/ Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

21º Revezamento Volta à Ilha acontece em abril e já movimenta atletas de todo país

Quatro mil atletas participam do grande desafio de 140km ao redor da Ilha de Santa Catarina no dia 16 de abril.

Florianópolis (SC) – 15 de março de 2016 – Marcado para o dia 16 de abril, o Revezamento Volta à Ilha chega a sua 21ª edição em 2016 consolidando-se como a maior prova do gênero na América Latina. Mais uma vez, aproximadamente quatro mil atletas participarão do desafio de percorrer os 140km divididos em 17 percursos de asfalto, trilha, praias e dunas, em um cenário paradisíaco em meio as belas paisagens da capital catarinense.

E a expectativa já começa a dominar os atletas garantidos na prova. Entre as quatrocentas equipes que participam do Revezamento Volta à Ilha existem atletas amadores, corredores de final de semana, alguns mais experientes e velozes e outros mais arrojados acostumados a longas distâncias, como o caso da dupla carioca Flávio Brito e Leonardo Mello, que participarão do evento na categoria Duplas. Amigos de infância, os corredores decidiram fazer a prova juntos após Leonardo se mudar para Santa Catarina.

Morando em Biguaçu há três meses, Leonardo Mello chega a sua terceira participação na prova. No entanto essa será a primeira vez que o corredor fará o percurso em duplas. Mesmo acostumado a participar de provas longa distância, Leonardo e Flávio sabem que a dinâmica da Volta à Ilha exige, além de ótimo preparo físico, uma grande logística para que a dupla não perca tempo em pontos chaves da prova, especialmente nas trocas.

“Nós já corremos algumas provas juntos e sempre fomos muito bem. Depois de participar de um evento no Rio a gente decidiu que estava na hora de participar da Volta à Ilha em dupla, pois já era um sonho antigo dos dois”, comenta Leonardo, que trabalha como professor de Educação Física e tem em seu currículo algumas maratonas pelo Brasil, provas de Triathlon e corridas de aventura.

Além disso, a dupla traçou uma estratégia inteligente. Leonardo é mais rápido em terrenos como asfalto e praias de areia batida, enquanto Flávio Brito está mais acostumado a enfrentar trilhas e provas de aventura. “A gente se conhece há muitos anos e de uns tempos para cá começamos a correr juntos. Após algumas provas pelo país a gente fechou um planejamento para fazer a Volta à Ilha. A gente tem se encontrado bastante apesar de um morar no Rio e outro em Floripa, pois é importante manter a estratégia da prova afinada”, comenta Flávio Brito, que trabalha com marketing esportivo e tem na bagagem as Maratonas de Londres e Rio, provas de triathlon, além de diversas corridas de aventura.

Mesmo com a distância, os dois estão com a estratégia afiada. Os dois trocam dicas de treinamento e conversam periodicamente para avaliar como está o andamento dos treinos. Além disso, todos os meses a dupla se encontra para treinar juntos, seja em Santa Catarina ou no Rio de Janeiro.

Sobre o Revezamento Volta à Ilha:

Idealizada no ano de 1996 pela Eco Floripa, a Volta à Ilha se caracteriza por ser uma prova de revezamento que desafia as equipes a dar uma volta completa na Ilha de Santa Catarina, capital do Estado. A prova é dividida em 17 trechos que desafiam os atletas em 140km de praias, asfalto, dunas e trilhas.

Além da participação no asfalto, dunas, trilhas e praias, a prova requer também um grande trabalho em equipe. Ainda, a prova conta com o acolhedor público da capital catarinense que vai aos principais pontos da prova para incentivar os competidores.

Todos esses elementos fazem do Revezamento Volta à Ilha a principal prova do gênero na América Latina. O evento que começou com dezenas de atletas hoje recebe aproximadamente 4.000 atletas de diversos lugares do Brasil e do Mundo.

Em 2015 a prova completou seu 20º aniversário, consolidando-se no cenário nacional e internacional como um dos principais eventos do Mundo de corrida. Em 2016, o evento acontece no dia 16 de abril.

Informações para imprensa
Danilo Caboclo - 48 9177-8099/11 9 7667-9636/ Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Marina Sartori - 48 9135-9402/ Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


 

Revezamento Volta à Ilha ASICS chega a sua 20ª edição em abril

Após duas décadas, prova tornou-se a maior do gênero na América Latina e esse ano atraí 4 mil corredores de todo país para a cidade de Florianópolis.

Florianópolis (SC) – 13 de março de 2015 – No dia 11 de abril, o Revezamento Volta à Ilha ASICS, maior prova do gênero na América Latina, celebra uma data muito especial. Essa será a vigésima edição da prova que cresceu ao longo dos anos. Com presença de quatro mil corredores em Florianópolis, a competição passou por várias mudanças nessas duas décadas até se tornar referência em competições esportivas no país.

“Muitas coisas aconteceram nesses vinte anos de Volta à Ilha. O percurso sofreu mudanças para se adaptar ao crescimento da cidade, mas sempre dando uma volta na Ilha. Muitas pessoas ajudaram a tornar a prova o que ela é hoje. Nestes 20 anos, temos mais de 45 mil corredores cadastrados, que já competiram e continuam a competir”, explica Carlos Duarte, organizador do evento.

Em 1996, com algumas dezenas de equipes e muito empenho, Carlos Duarte e sua equipe de organização não poderiam imaginar que aquela corrida organizada por alguns familiares e amigos se tornaria a maior do Brasil. Anualmente, milhares de atletas esperam pelo mês de abril para poder competir no evento. A fase de ansiedade começa meses antes, pois devido ao grande número de solicitações é preciso fazer um sorteio de vagas.

Após a confirmação, as equipes se organizam para definir os trechos de cada participante e montar a logística da prova. Na Volta à Ilha ASICS, além do desafio de superar limites, a questão de trabalho em equipe é fundamental para se obter êxito.

“A Volta à Ilha representa não só a superação do limite físico, mas também do saber trabalhar em grupo. O conjunto é o que define o sucesso na prova. O espírito de amizade e companheirismo são incríveis ao longo do dia. Além disso, é uma sensação única poder correr em meio as belas paisagens da Ilha, que trazem mais energia para os atletas”, conta Sergio Luiz, que participa do evento desde 2007 e esse ano vai para sua nona prova.

Assim como Sergio, quatro mil corredores estarão na capital catarinense em 2015 para as disputas da prova. Alguns pela primeira vez e outros participando de novo da prova. Porém, todos com o mesmo objetivo: superar os limites e desfrutar de um dia de corrida ao lado dos companheiros de equipe.

20º Revezamento Volta à Ilha ASICS:
Idealizada no ano de 1996 pela EcoFloripa, a Volta à Ilha ASICS se caracteriza por ser uma prova de revezamento que desafia as equipes a darem uma volta completa na Ilha de Florianópolis, capital de Santa Catarina. A prova é dividida em diversos trechos que desafiam os atletas em diferentes tipos e distâncias de percursos.

Além da participação no asfalto, dunas, trilhas e praias, a prova requer também um grande trabalho em equipe. Além disso, a prova conta com o acolhedor público da capital catarinense que vai aos principais pontos da prova para incentivar os competidores.

Todos esses elementos fazem do Revezamento Volta à Ilha ASICS a principal prova do gênero na América Latina. O evento que começou com dezenas de atletas hoje recebe aproximadamente 4.000 atletas de diversos lugares do Brasil e do Mundo.

Em 2015 a prova celebra seu 20º aniversário, consolidando-se no cenário nacional e internacional como um dos principais eventos do Mundo de corrida.

Para mais informações: www.voltailha.com.br
Facebook: www.facebook.com/voltaailhaasics


Informações para imprensa:
Danilo Caboclo / Assessoria de Imprensa
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Tel: 48 9177-8099 / 11 9.7667-9636

Briga por título e recordes marcam o 20º Revezamento Volta à Ilha ASICS

Equipes de todo Brasil chegam à Florianópolis em busca da vitória na principal prova de revezamento da América Latina

Florianópolis (SC) – 20 de março de 2015 – O Revezamento Volta à Ilha ASICS reúne todos os anos em Florianópolis atletas obstinados em superar seus próprios limites. Sem se preocupar com posições, centenas de equipes têm um pensamento em comum: vencer a si mesmo. O companheirismo e o trabalho em equipe são características muito fortes dentro de cada um dos corredores. No entanto, existem aqueles que vem à Florianópolis com um único objetivo: a vitória.

A cada ano algumas equipes se preparam cada vez mais para conquistar o lugar mais alto do pódio. As disputas pelo título em duplas e equipes são marcantes, proporcionando duelos emocionantes. Como foi o caso da prova em 2014. Após cinco anos de títulos em duplas, a equipe goiana formada por Cleiser Alves e Sinei Mendanha, foi desbancada por Gilliard Pinheiro e Fernando Bessera, da Companhia dos Cavalos.

Para esse ano, a Cia dos Cavalos retorna querendo o bicampeonato, apesar da ausência de Gilliard. “Com certeza será um desafio enorme. Esse ano não contaremos com o Gillard por motivos profissionais, mas o José de Moraes, que fará dupla com Fernando, tem totais condições de nos ajudar a manter o título. Nosso objetivo é brigar mais uma vez pela ponta, mas sabemos que será uma meta difícil de ser alcançada”, conta Cleimar Tomazelli, diretor técnico da Companhia dos Cavalos.

Porém não é somente nas duplas que os gaúchos da Cia dos Cavalos vêm forte. Com um grupo repleto de bons corredores, a equipe tem projetos ousados para o ano de 2015 na Volta à Ilha. “Nós vamos buscar os títulos em quatro categorias, algo que jamais aconteceu. Além das duplas, nós vamos com a equipe Feminina, Veterana 50 e, é claro, na Aberta”, reforça Tomazelli.

Inclusive, é na categoria Aberta que os gaúchos querem fazer história. Após quebrarem o recorde da Maratona Express em 2014, correndo os 42km para 2h01, o objetivo deste ano na Volta à Ilha ASICS é estabelecer um novo recorde para os 140km da prova. “Nossa equipe é a mesma que venceu a Maratona Express, só que com mais dois atletas. Nossa meta é baixar as 8h”, completa Tomazelli.

Atuais campeões confirmados na prova:
Os gaúchos, no entanto, não terão vida fácil em Florianópolis. Atuais campeões do Revezamento Volta à Ilha ASICS, a equipe paranaense do Supermercado Jacomar confirmou presença na competição e também chega como uma das favoritas ao título. “Esse ano nós sabemos que será muito difícil, mas nossa equipe atua junto há muitos anos e está vindo forte mais uma vez. Nosso foco é brigar por pódio. Queremos manter o bom nível das edições passadas”, conta Cristian Vigorena, coordenador da equipe.

Toda essa competição torna a prova ainda mais emocionante, mas ao mesmo tempo em que disputam passo a passo o pódio, existe um respeito muito grande entre todos. “A Volta à Ilha é a melhor prova de revezamento do Brasil. Para nós é motivo de muita alegria poder vir todos os anos para cá. Essa competição é sadia e fica apenas na pista. Todos somos muitos amigos, as pessoas se conhecem e se ajudam. O companheirismo entre todos os participantes e o clima de incentivo são as marcas registradas dessa grande competição”, finaliza Cristian Vigorena.

Campeões do Revezamento Volta à Ilha ASICS 2014:
Categoria Aberta: Supermercado Jacomar – 9h09m41s
Categoria Aberta Mista: SESI/HF – 9h20m34s
Categoria Feminina: Cia dos Cavalos FEINO – 11h46m52s
Categoria Dupla: Cia dos Cavalos/INDOMIT – 10h12m57s
Categoria Veterana Mista: Campos Running/Paquetá Esportes – 10h12m41s
Categoria Veterana 40: Nossa Saúde – Criozan – 9h45m43s
Categoria Veterana 50: Chão do Aterro – 11h24m37s


Informações para imprensa:
Danilo Caboclo / Assessoria de Imprensa
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Tel: 48 9177-8099 / 11 9.7667-9636

Volta à Ilha ASICS reúne amantes da corrida em Florianópolis

Em sua vigésima edição, prova atrai competidores com participação em todos os anos da competição

Florianópolis (SC) – 24 de março de 2015 – Em 2015 a Volta à Ilha ASICS completa 20 anos, confirmando seu status de uma das principais provas de corrida do Brasil. O evento, que desde 1996 atraí milhares de corredores, ficou marcado na vida de muitos atletas que se dedicam durante um ano para o encontro sempre no mês de abril na capital catarinense.

Além da disputa por títulos, a prova é também um momento de confraternização entre atletas. “A Volta à Ilha é a prova que mais me dá alegria em correr. Nos meus 40 anos como atleta é o momento em que sinto mais alegria. É um momento de passar o dia com os amigos, confraternizando com atletas do Brasil e de outros países. Posso dizer que é uma festa do atletismo brasileiro”, comenta Raul Cardozo, nascido em Blumenau e com participação em todas as edições do Revezamento Volta à Ilha ASICS.

Em seu currículo, o atleta de 67 possui participação nas Maratonas de Nova Iorque, Londres, Berlim, Paris, Buenos Aires e Santiago do Chile, além de já ter completado mais de 100 meias maratonas. No entanto, é na Volta à Ilha que o blumenauense se sente realizado.

“Desde 1996 é a prova que mais me dedico nos treinamentos”, comenta o atleta que este ano fará parte de uma equipe especial reunindo os corredores com maior número de participações na Volta à Ilha. “Eu já venci a prova por cinco vezes e um ano perdemos por apenas 1m20s em uma corrida de 150km. Você consegue imaginar isso?”, encerra relembrando da prova de 2006, quando sua equipe foi superada no último revezamento.

Quem também fará parte da equipe de veteranos é o manezinho da ilha, nome como carinhosamente são conhecidas as pessoas que nascem em Florianópolis, Sr. Analto Romalino da Cunha, de 54 anos. Nascido no Ribeirão da Ilha, o corredor fala com alegria das suas vinte participações na prova.

“A Volta à Ilha representa algo de muito bom na minha vida. Treino o ano todo pensando nessa prova. É uma paixão, algo que faz parte de mim. Na primeira edição eu corri por uma equipe e depois foram dezoito anos correndo com o grupo Vento Sul. Em 2015, farei parte de um time especial, que reunirá os veteranos da prova”, comenta.

Nesses vinte anos, muitos momentos marcaram a presença de Analto, mas uma ficou marcada em sua memória. “Já faz uns quinze anos, eu estava fazendo o trecho do Ribeirão da Ilha e entrou um evento muito forte. Era tão forte que começou a arrancar os telhados das casas e eu tive que ir correr pela praia. Mesmo com toda aquela ventania nós não paramos de correr”, conta.

Com tantas histórias para contar, os dois corredores têm inúmeros motivos para falar da Volta à Ilha ASICS com carinho. Para ambos a prova é um marco e quando questionados sobre o futuro a resposta é a mesma: “ainda tem muito para acontecer”.

Volta à Ilha ASICS: muitas mudanças e crescimento ao longo de vinte anos

Principal prova de revezamento da América Latina teve sua primeira edição em 1996 com vinte duas equipes inscritas.

Florianópolis (SC) – 30 de março de 2015 – Em 1996, quando organizou pela primeira vez a Volta à Ilha, Carlos Duarte, idealizador da prova, jamais pensaria que o evento se tornaria a maior corrida de revezamento da América Latina. Passados vinte anos de sua primeira edição, a prova teve a participação de mais de 45.000 atletas e conta atualmente com 4.000 corredores de diversas cidades do Brasil e do Mundo.

Sempre com o objetivo de percorrer a cidade de Florianópolis, no ano de 1995, ao lado de sua esposa, Carlos Duarte começou a idealizar a primeira edição do evento. “A organização da primeira edição levou um ano inteiro de muito trabalho e planejamento. Boa parte da organização ficou por conta de quem teve a ideia. Demos muitas voltas na cidade para conhecê-la a fundo. Todo percurso foi medido com um odômetro em uma bicicleta, pois não havia GPS, e a altimetria foi feita com um mapa contendo as curvas de nível, obtido com a engenharia do IPUF – Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis)”, explica Carlos Duarte.

Com uma organização implacável e que atualmente conta, no dia da prova com mais de 700 pessoas no Staff, a Volta à Ilha ASICS exige atenção muito grande por parte dos organizadores. Por um dia inteiro, a capital catarinense respira corrida, mas o planejamento para que nada de errado começa no ano anterior, exigindo muitos cuidados por parte dos organizadores. Porém, para que a prova chegasse ao nível de excelência foi preciso muito trabalho e dedicação.

“Eu sempre fui o diretor geral da prova, mas nas primeiras edições eu era responsável também por divulgar, fazer contato com patrocinadores, realizar as inscrições, ajudar na entrega de kits e uma infinidade de outras atividades. No dia da prova, nós contávamos com a ajuda de amigos da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), além, é claro, do apoio dos familiares e amigos”, completa Carlos Duarte.

Na primeira edição 22 equipes participaram da prova e as inscrições eram feitas via fax ou pessoalmente. “Naquela época não tinha site, internet, celular, GPS ou qualquer outro tipo de tecnologia. Todos os anos nós editávamos a Revista do Regulamento e o Jornal dos Resultados e mandávamos por correio a todas as equipes”, revela.

As vinte duas equipes da primeira edição tornaram-se quatrocentas nos últimos anos da prova. O crescimento foi tão rápido, que existe um sorteio de vagas para definir as equipes que poderão participar da prova, devido ao grande número de procura. Trabalhando há mais de dez anos na organização da Volta à Ilha ASICS, Luanda Duarte, que é sobrinha de Carlos e braço direito na produção dos eventos da Eco Floripa, viu a prova crescer muito na última década.

“Quando eu comecei a trabalhar na Eco Floripa, há 10 anos, o meu primeiro mês de trabalho foi na época das inscrições para o sorteio de vagas. As inscrições pelo site tinham mais de 600 equipes na lista de espera e o telefone não parava de tocar. Tudo aquilo me fez pensar como os meus tios conseguiram dar conta nos últimos dez anos sem a tecnologia”, conta Luanda.

O contato direto com os atletas e o atendimento personalizado tem suas vantagens. Com tantos anos de Volta à Ilha ASICS o contato entre os atletas e a organização ficou cada vez mais pessoal o que facilita muito na organização. “Aqui nós respondemos todos os e-mails individualmente e sei o nome de cada um dos nossos atletas. Muitos deles, os que já atendemos há mais tempo, eu consigo reconhecer a voz por telefone, mesmo não tendo os conhecidos pessoalmente afinal são 45.000 pessoas ao longo dos vinte anos”, encerra Luanda.

Mesmo após tantos anos e muitas mudanças, a preocupação da organização é sempre promover um grande espetáculo. Deixar os corredores bem à vontade para desfrutarem as paisagens inigualáveis que Florianópolis proporciona. “Nós sempre damos um passo por vez. Atendemos a todos muito bem e procuramos dar atenção especial nos aspectos de organização. Acho que tudo isso gera um grande reconhecimento da prova. Os participantes estão sempre satisfeitos e voltam todos os anos”, encerra Carlos Duarte.

Praias, dunas, asfalto, trilhas e morro são os desafios da Volta à Ilha ASICS

Maior prova de revezamento da América Latina, Volta à Ilha ASICS exige dos atletas em todos os tipos de terreno.

Florianópolis (SC) – 02 de abril de 2015 – Maior prova de revezamento da América Latina, a 20ª Volta à Ilha ASICS, que neste ano acontece no dia 11 de abril, em Florianópolis, tem ao longo de seus 140km inúmeros desafios. Além da logística que envolvem as equipes durante as trocas em cada um dos trechos, os quatro mil corredores são exigidos em todos os tipos de terreno, como asfalto, praia, duna, trilhas e morro.

Dessa forma, o ideal é que durante a preparação para a prova, os atletas busquem ao máximo simular nos treinos os trechos que farão no dia da corrida. “Quando já se sabe o que irá fazer, o ideal é que uns três meses antes o atleta comece a treinar nos mesmos tipos de terreno. É importante enfatizar isso, fazendo treinamentos específicos”, explica Andrea Teixeira, diretora da assessoria esportiva Tribo do Esporte, que participou de todas as edições da prova como corredora e, atualmente, como treinadora.

No entanto, existem os casos de atletas que não conseguem fazer os treinos nos locais ou tem dificuldades em simular o que farão no dia da prova. “Quem mora em um lugar que não tem praia ou trilha, por exemplo, deve tentar simular algo parecido em sua cidade. É importante ver no mapa da prova a altimetria e o tipo de terreno de cada trecho e tentar passar isso para o treino. Pode ser feito um treinamento em morros ou locais com altitude mais elevada, por exemplo”, explica a treinadora.

Ainda segundo Andrea, os atletas que percorrerem os trechos de praia e duna devem estar bem hidratados. Manter a cadência no início é importante. “Não adianta sair desesperado, pois são terrenos que exigem mais do atleta devido à areia fofa”.

Outro ponto muito importante para quem vai correr nos trechos de praias e trilhas são os cuidados que se deve tomar. Para correr na areia o ideal é que se use meias longas. “A areia tende a entrar no tênis e isso incomoda um pouco, caso a pessoa esteja usando uma meia curta, a tendência é que esse desconforto seja pior”, comenta. “É importante estar muito atento durante os trechos de trilha. Apesar da prova ter uma sinalização muito boa, todo cuidado é fundamental. Olhar para o chão para fugir das pedras e troncos de árvore. Além disso, eu falo para todos não usarem fone de ouvido, pois tira a atenção”, revela Andrea.

Durante os 140km de prova, os corredores são postos a prova em todos os momentos do Volta à Ilha, mas um trecho em questão deve ser tratado de forma especial: o Morro do Sertão. Classificado com o mais difícil, o morro fica na região sul da Ilha e conta com 15km de intensa subida. “O Morro é a parte mais difícil da prova. Quem vai correr esse trecho deve estar bem alimentado e hidratado. Se a pessoa puder conhecer o local antes também é recomendável. Em caso de chuva e preciso redobrar a atenção”, comenta Andrea.

Maior corrida de revezamento do Brasil reunirá 3,7 mil atletas em Florianópolis

A Ilha de Santa Catarina voltará a ser percorrida por 3,7 mil atletas de todo o país no próximo dia 12 de abril, na 19º edição da corrida de revezamento Volta à Ilha ASICS. A prova tem 140 km e passa por trilhas, morros, asfaltos e areias de 25 praias de Florianópolis. Para dar conta de todo esse percurso, equipes de dois a oito integrantes dividem os trechos de acordo com as habilidades, conhecimento e preparo físico de cada um.As primeiras equipes largam às 4h15min da madrugada, com saída e chegada no trapiche da avenida Beira-Mar Norte. Entre as oito categorias, há grande expectativa para a competição na Aberta e Dupla. A categoria Aberta é formada por oito pessoas com idade mínima de 12 anos. Na categoria Dupla, os participantes devem ter pelo menos 18 anos. Para o idealizador da prova e diretor-presidente da Eco Floripa Eventos Esportivos, Carlos Duarte, esse é o grande trunfo do Volta à Ilha. “A diversidade e a complexidade do percurso também pode ser notada nos participantes, que dão o melhor de si para obterem o menor tempo para a equipe”.

O percurso da prova vem sendo aperfeiçoado a cada ano. Desde 1996, quando foi criada, a corrida sofreu alterações para ser ainda mais fiel ao contorno da Ilha. Há dois anos, a transição entre o bairro Sambaqui e Daniela, no Norte, é feita de banana boat ou barco. Veja o percurso completo no GoogleMaps. No ano passado, a equipe campeã completou a volta em 8h01min05s.

Até o dia 21 de março, as equipes inscritas devem fazer o cadastro dos atletas com o perfil de cada um e a distribuição dos trechos. Ao todo, os 140 km são divididos em 18 partes. Como existe grande procura e as vagas são limitadas, a organização realiza um sorteio. Os primeiros colocados do ano anterior têm preferência e podem se inscrever com antecedência. Porém, a maior procura é para a categoria Participação, em que não há disputa e o os atletas têm como principal meta vencer o percurso.
Bastidores da corrida serão registrados em vídeo


Acompanhar uma corrida de revezamento de 140 km ao redor de uma Ilha é uma tarefa quase impossível. Momentos de superação e nervosismo, como os de troca, em que os atletas se preparam para correr o seu trecho, passam despercebidos. “No caso das equipes que estão na disputa, há toda uma preparação e aquecimento na mudança de trechos. Os técnicos ficam atentos para que não haja atrasos e desencontros”, explica Carlos Duarte.


Para registrar e trazer um pouco mais dos bastidores da prova, neste ano haverá uma cobertura de vídeo por meio de um link para a internet, que estará disponível no dia da corrida no   http://www.ecofloripa.com.br/voltailha/, e um painel instalado no ponto de partida de chegada, no trapiche da avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis. A transmissão começa às 4h15min da madrugada, com imagens e conteúdo informativo sobre a prova, e segue até 20h. Haverá uma estrutura com duas ilhas de edição, câmeras e motos que irão se deslocar pelos 140 km do percurso para captar imagens ao longo do dia. O material também será disponibilizado para emissoras de TV via FTP (ferramenta de transferências de arquivos pela internet), com imagens em formato Full HD, ou seja, em alta definição.

Consolidação
Maior corrida de revezamento do Brasil, a primeira edição do Volta à Ilha foi em 1996, com 22 equipes participantes. Agora, 18 anos depois, são 400 equipes inscritas, e ainda é preciso fazer sorteio de vagas. Parte delas são reservadas àqueles que participaram sete anos ou mais, ou venceram alguma das provas da Eco Floripa no ano anterior. Além disso, a competição reúne atletas com diferentes perfis de preparos físicos, devido ao número de competidores por equipe e a diversificação das categorias. A faixa etária varia de 12 anos, na categoria Participação, até quem tem mais de 50, na Veterana.

Lixo produzido durante a corrida será encaminhado para reciclagem
A organização da corrida que toma emprestados 140 km do contorno da Ilha de Santa Catarina também está de olho na preservação das belezas naturais de Florianópolis. Todo o lixo produzido durante a prova, como copos descartáveis e latinhas, será recolhido e encaminhado a uma empresa de reciclagem. No regulamento também está previsto que os atletas que jogarem lixo fora dos locais adequados serão penalizados com acréscimo de tempo na cronometragem da prova.

Solidariedade
Parte do valor da inscrição de cada atleta é doada para a Sociedade Espírita de Recuperação, Trabalho e Educação - SERTE, localizada no bairro Cachoeira do Bom Jesus, em Florianópolis. A SERTE atende a 63 velhinhos no Lar Irmão Erasto e a 25 crianças no Lar Seara da Esperança. Tem ainda um educandário, o Lar de Jesus, para 120 alunos da comunidade.

Prêmios
A edição da Revista Viagens e Turismo, de 2012, premiou o Revezamento Volta à Ilha ASICS como a 5ª melhor corrida do mundo. A Revista O2 entregou o troféu de “Evento de corrida mais admirado do Brasil”, nos anos de 2007, 2008 e 2009, ao organizador da prova, Carlos Duarte. Esse reconhecimento foi destacado também por outras importantes revistas especializadas do ramo. A Revista Mens´s Health a elegeu, em 2007, como a “Melhor Corrida do Brasil”. Em 2006 e 2007, os leitores da Revista Running Brasil consideraram a prova como o “Melhor Evento de Aventura” do país.

Patrícia Pinheiro
Assessora de Comunicação - SC 51011-JP
Telefone: (61) 8179-0680
e-mail:    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
skype e twitter: patvitara
Texto: Patricia Krieger

Conheça o percurso de 140 km que vai tirar o fôlego de 3,7 mil atletas no Volta à Ilha 2014

A corrida que passa por 140 km do contorno da Ilha de Santa Catarina chega a 19ª edição no próximo dia 12 de abril – Revezamento Volta à Ilha ASICS 2014. A competição é conhecida por desafiar 3,7 mil atletas de todo o Brasil a se revezarem em trechos de trilhas, morros, areias e asfalto para completar a prova que tem um dos maiores e mais difíceis percursos do país. No ano passado, a equipe campeã levou 8h01min05s para terminar o trajeto. Veja o percurso completo no google maps.

O percurso do Volta à Ilha passa por 25 das 41 praias de Florianópolis. Ao longo de 19 edições, foi sendo adaptado para fugir de rodovias movimentadas e ficar mais fiel ao contorno da Ilha. No início eram 150 km e mais de 20 pontos de troca, que diminuíram para 140 e 18. Cada um deles foi escolhido de forma estratégica para que a corrida flua e conte um pouco da história de Florianópolis. “A seleção dos pontos de troca foi algo que adaptamos ao longo das edições para que fosse o local certo não só para o revezamento entre os atletas, mas também entre os diferentes espaços e histórias que compõem a nossa ilha”, conta o idealizador da prova e diretor-presidente da Eco Floripa Eventos Esportivos, Carlos Duarte.

As equipes inscritas em oito diferentes categorias largam entre às 4h15min e 7h30min, no trapiche da avenida Beira-Mar Norte, no centro da Capital. “No dia do Volta à Ilha, sempre que passo pela beira-mar, vejo atletas pela rua. Como a prova dura o dia todo, já acompanhei a comemoração de várias equipes na chegada", conta a estudante Joana Zanotto, moradora do centro da capital catarinense.

Logo no começo da prova, depois de 25 km no sentido Norte no asfalto da SC-401, o percurso passa no lugar em que foi construída a primeira rua calçada do Estado: os tradicionais bairros de colonização portuguesa Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui. “É um retiro onde os atletas podem descansar de tanta fumaça de escapamento, e repousar a vista com uma bela paisagem”, destaca o estudante de gastronomia e morador do bairro, Thálion Mibielli, que já acompanhou a prova muitas vezes. Os corredores têm mesmo 10 minutos de descanso ao terminar este trecho. Para chegar no próximo ponto da corrida, no Pontal da praia Daniela, os participantes fazem uma travessia de barco ou de banana boat. O tempo é descontado do total da prova, ou seja, não é cronometrado.

Ao desembarcar na praia da Daniela, o percurso segue no sentido Oeste e passa pela Praia do Forte, Jurerê Internacional, Canasvieiras, Cachoeira do Bom Jesus, até alcançar a Ponta das Canas, no extremo Norte da Ilha. Ao chegar na Lagoinha de Ponta das Canas, o atleta enfrenta uma trilha de 3,5 km, com 180 metros de altitude, que o leva até a praia Brava. Em seguida, há outra trilha, entre a praia Brava e os Ingleses. "Já vi atletas passarem muito concentrados aqui na areia da praia. Dá para perceber que estão participando de uma competição séria, e isso incentiva o esporte na região", diz a empresária e moradora de Canasvieiras, Sandra Mayer.

A corrida segue no sentido Sul, contornando as praias do Leste da Capital: Santinho, Moçambique, Barra da Lagoa, Joaquina, Campeche, Armação e Pântano do Sul. Os trechos variam entre dunas, asfalto e areia. Depois da praia dos Açores, chega o ponto mais difícil do percurso: a estrada de terra do Morro do Sertão. São 15 km, sendo 6 km de subida do morro de 250 metros de altitude. A prova continua no sentido Norte, passando pelo Ribeirão da Ilha, aeroporto, rodoviária e voltando para a avenida Beira-Mar Norte, até finalmente cruzar a linha de chegada.

Bastidores da corrida serão registrados em vídeo
Acompanhar uma corrida de revezamento de 140 km ao redor de uma Ilha é uma tarefa quase impossível. Momentos de superação e nervosismo, como os de troca, em que os atletas se preparam para correr o seu trecho, passam despercebidos. “No caso das equipes que estão na disputa, há toda uma preparação e aquecimento na mudança de trechos. Os técnicos ficam atentos para que não haja atrasos e desencontros”, explica Carlos Duarte.

Para registrar e trazer um pouco mais dos bastidores da prova, neste ano haverá uma cobertura de vídeo por meio de um link para a internet, que estará disponível no dia da corrida no http://www.ecofloripa.com.br/voltailha/, e um painel instalado no ponto de partida de chegada, no trapiche da avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis. A transmissão começa às 4h15min da madrugada, com imagens e conteúdo informativo sobre a prova, e segue até 20h. Haverá uma estrutura com duas ilhas de edição, câmeras e motos que irão se deslocar pelos 140 km do percurso para captar imagens ao longo do dia. O material também será disponibilizado para emissoras de TV via FTP (ferramenta de transferências de arquivos pela internet), com imagens em formato Full HD, ou seja, em alta definição.

Consolidação
Maior corrida de revezamento do Brasil, a primeira edição do Volta à Ilha foi em 1996, com 22 equipes participantes. Agora, 18 anos depois, são 400 equipes inscritas, e ainda é preciso fazer sorteio de vagas. Parte delas são reservadas àqueles que participaram sete anos ou mais, ou venceram alguma das provas da Eco Floripa no ano anterior. Além disso, a competição reúne atletas com diferentes perfis de preparos físicos, devido ao número de competidores por equipe e a diversificação das categorias. A faixa etária varia de 12 anos, na categoria Participação, até quem tem mais de 50, na Veterana.

Lixo produzido durante a corrida será encaminhado para reciclagem
A organização da corrida que toma emprestados 140 km do contorno da Ilha de Santa Catarina também está de olho na preservação das belezas naturais de Florianópolis. Todo o lixo produzido durante a prova, como copos descartáveis e latinhas, será recolhido e encaminhado a uma empresa de reciclagem. No regulamento também está previsto que os atletas que jogarem lixo fora dos locais adequados serão penalizados com acréscimo de tempo na cronometragem da prova.

Solidariedade
Parte do valor da inscrição de cada atleta é doada para a Sociedade Espírita de Recuperação, Trabalho e Educação - SERTE, localizada no bairro Cachoeira do Bom Jesus, em Florianópolis. A SERTE atende a 63 velhinhos no Lar Irmão Erasto e a 25 crianças no Lar Seara da Esperança. Tem ainda um educandário, o Lar de Jesus, para 120 alunos da comunidade.

Prêmios
A edição da Revista Viagens e Turismo, de 2012, premiou o Revezamento Volta à Ilha ASICS como a 5ª melhor corrida do mundo. A Revista O2 entregou o troféu de “Evento de corrida mais admirado do Brasil”, nos anos de 2007, 2008 e 2009, ao organizador da prova, Carlos Duarte. Esse reconhecimento foi destacado também por outras importantes revistas especializadas do ramo. A Revista Mens´s Health a elegeu, em 2007, como a “Melhor Corrida do Brasil”. Em 2006 e 2007, os leitores da Revista Running Brasil consideraram a prova como o “Melhor Evento de Aventura” do país.


Patrícia Pinheiro
Assessora de Comunicação - SC 51011-JP
Telefone: (61) 8179-0680
e-mail:   Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
skype e twitter: patvitara
Texto: Patricia Krieger

  • 1
  • 2

 

Patrocínio Apoio Realização
 caixa_gov.png c1  c1


download      download download download

Eco Floripa Eventos Esportivos - Copyright © 2015 Volta à Ilha. Todos os direitos reservados.  (48) 3233-6822
Rua Radialista Carlos Alberto Campos, 205, 88040-460 - Florianópolis - SC